CET SANTOS: Querem privatizar a CET-Santos!

No dia 7 de dezembro, todos devem comparecer à Câmara Municipal, para pressionar que os vereadores não aprovem esse Projeto de Lei

190

Trabalhadores(as) da CET Santos, a gestão do prefeito Paulo Alexandre (PSDB), mais uma vez, mostra que ao invés de governar o munícipio para todos, está transformando a cidade de Santos num grande balcão de negócios.

A exemplo dos governos tucanos, que, administrar para eles, é transferir responsabilidades, mais uma vez saqueia os cidadãos.

A apresentação do PL 244/17 (Privatização do Estacionamento Regulamentado), no dia 27/11, teve sua tramitação em caráter de urgência. Não passou pelas comissões e de forma metória, foi tratado a toque de caixa, sem nenhuma análise dos vereadores, menos ainda com a participação popular e já está pronto para ser votado e aprovado na Câmara.

Que urgência é esta? Os vereadores não questionarão nada sem antes aprovar o PL?Qual a justificativa? Quais estudos foram feitos?

As gestões municipais passadas deixaram de investir na CET Santos, sucateando a empresa, terceirizando serviços, extinguindo áreas de atuação de vários profissionais.

Novamente a história se repete e surge um herói municipal com a solução mágica, vender a empresa para iniciativa privada.

Há 10 anos, nossa direção vem denunciando esta situação e propondo medidas que, de fato, melhorariam a vida da empresa e dos trabalhadores(as).

Particularmente, no Estacionamento Regulamentado, denunciamos o abandono, a falta de investimentos e manutenção e, o mais importante, a abdicação da possibilidade de ampliação nas receitas.

Agora querem entregar parte da companhia para os empresários, aumentando o sucateando da empresa e possibilitando a demissão de vários trabalhadores(as).

Assim como todas as prefeituras que os tucanos governam, querem transferir suas responsabilidades, destruindo o serviço público e, nesse caso, a CET Santos. A privatização do UEREG é somente o início: Balão de ensaio e se não lutarmos, nada sobrará.

Por isso, no dia 7 de dezembro, às 17h, todos devem comparecer à Câmara Municipal, para pressionar que os vereadores não aprovem esse Projeto de Lei.