CET SP: Febre Amarela – Esta doença pode matar!

Junto com a DR e a CIPA, a direção do SINDVIÁRIOS solicitou a facilitação de imunização dos trabalhadores e trabalhadoras da CET

19

A febre amarela é também doença febril aguda, acompanhada de icterícia e/ou hemorragias.

Os sintomas da febre amarela são: febre de início súbito, com duração máxima de 12 dias, pulso lento em relação à temperatura, calafrios, dor de cabeça intensa, dores musculares, náuseas e vômitos com sangue escuro, comprometimento hepático e renal. Pode aparecer icterícia e hemorragias, torpor, e evoluir para o coma e a morte.

A febre amarela pode apresentar desde a infecção assintomática, formas brandas, até a forma grave que causa a morte.

Quando diagnosticadas e tratadas a tempo, o risco de morrer em decorrência dessas doenças diminui muito. Por isso, é muito importante que as pessoas procurem atendimento médico logo no início dos primeiros sintomas.

Essa doença é um sério problema de saúde pública em todo o mundo, especialmente nos países tropicais e subtropicais como o nosso, onde as condições do meio ambiente e climática, aliadas às características urbanas favorecem o desenvolvimento e a proliferação dos mosquitos transmissores.

ATENÇÃO

A febre amarela não existe transmissão para outra pessoa pelo contato direto com o doente ou com suas secreções, nem através da água e nem dos alimentos.

A melhor ação na prevenção da febre amarela é impedir a criação do mosquito, Aedes aegypti, que frequentemente procria na moradia ou local de trabalho das pessoas, pois sem a presença deste mosquito não ocorrerá a transmissão da febre amarela urbana.

 

Preocupados com o surto de febre amarela que atinge a capital de São Paulo e região metropolitana, as representações SINDVIÁRIOS, DR e CIPA fizeram solicitações para facilitar a imunização dos trabalhadores e trabalhadoras da CET. A DR encaminhou CI na segunda feira dia 08 de janeiro, solicitando que a empresa viabilize junto a secretaria Municipal de saúde  a vacinação dentro das dependências da empresa.

O SINDVIÁRIOS reforçou essa solicitação e pediu que os trabalhadores e trabalhadoras possam ir aos postos de saúde durante o expediente, caso não tenha o acordo com a Secretaria de Saúde. A CIPA também está fazendo gestão junto a administração para ajudar nessa questão.