CET-SP: Querem acabar com o PAMO e não é de hoje

Qual o valor da saúde do trabalhador? E da segurança em saber que sua família será bem atendida num plano de saúde bom?

259

Trabalhadoras e trabalhadores,

A denúncia no Ministério Público continua sendo investigada e o próprio ministério propõe a extinção do PAMO. Ainda assim, a CET renovou o contrato com a HAPTEC por mais dois anos e a direção do SINDVIÁRIOS está propondo uma ação na justiça cível, contra a CET e a HAPTEC, questionando a relação de consumo e o padrão de qualidade dos serviços prestados aos usuários.

Quanto aos últimos fatos, apuramos as informações e não existe decreto. Há um ofício orientador, com informações sobre um grupo de estudos que discute a viabilidade econômica das empresas de capital misto no município de São Paulo.

Não há nesse documento a preocupação de avaliar as peculiaridades de cada empresa e, esse grupo de estudos, chegou à conclusão que é mais barato que as empresas forneçam um vale saúde do que manter um convênio médico.

O documento é superficial e levanta a hipótese de uma economia sem levar em conta faixas etárias, receitas geradas por cada empresa e não fala sobre a manutenção dos familiares dos trabalhadores no novo convênio.

O documento em nada decide os rumos da PAMO e muito menos trazem soluções aos problemas que eles apontam.

O nosso PLANO DE AUTOGESTÃO continua sendo a melhor e única alternativa aos trabalhadores e seus familiares.

Esse diz que diz não é de hoje, a cada nova administração que assume, fazem uma tentativa de mudança do sistema.

Nossa categoria tem que permanecer mobilizada, unida e trabalhar em conjunto com a nossa direção, criando, assim, um discurso único em defesa do melhor benefício que temos.

Reno Ale
Presidente do SINDVIÁRIOS