GERAL: Reforma da Previdência, SOMOS A FAVOR!

SINDVIÁRIOS explica porque a reforma é necessária

O rombo nas contas da previdência é real, o desequilíbrio do sistema previdenciário brasileiro ocorre por conta da falta de combate às fraudes e erros de processamento, falta de cobrança dos grandes devedores e o desvio de recursos.

Segundo estudos do próprio governo, fraudes e erros de processamento geram um déficit de R$ 56 bilhões por ano, empresas privadas devem R$ 450 bilhões à previdência, destes apenas R$ 175 bilhões podem ser recuperados e o desvio de recursos, aprovado e legalizado pelo governo, chega aos R$ 120 bilhões anuais.

Outra informação importante, é que, a cada 100 reais gastos com pagamento de aposentadoria, 40 reais ficam nas mãos de poucos privilegiados, os mais ricos, essa lista inclui políticos que ganham em média R$ 14.000 mensais, enquanto a média nacional é de R$ 1.400.

Vale lembrar que, apesar de não estarem no sistema geral de aposentadoria, entram nos gastos do governo, as aposentadorias e as pensões de militares, além dos servidores públicos com sistema próprio de previdência.

Tudo isso somado, gera ao governo um déficit anual de R$ 285 bi, excluindo os regimes próprios. A conclusão é simples, o problema da previdência é de má gestão de recursos, fraudes, sonegação, desvios, privilégios e… ALTO ÍNDICE DE DESEMPREGO.

Como sabemos a previdência é um ciclo, um contrato social estabelecido onde a força de trabalho dos jovens paga a aposentadoria daqueles que já deram sua contribuição, contudo em um país em recessão com 14 milhões de desempregados, obviamente, a receita da previdência cai, vertiginosamente. 

Somos a favor de uma reforma da previdência que corrija essas injustiças e não uma reforma que penalize ainda mais os mais pobres e trabalhadores, fazendo os mesmos trabalharem além de sua capacidade física, queremos emprego digno e aposentadoria digna, queremos equilíbrio social.

Por isso, vamos expressar nosso real desejo e dizer não a esta reforma de ricos, privilegiados e de uma classe política e militar, dia 14 de junho vamos às ruas, pois somente assim juntos e organizados,  seremos capazes de mostrar nossa indignação e força!