Guerreiros, linha de frente, sem vacina e sem horas extras

Convocado para o feriadão, CET explora categoria sem vacina

1558

O ditado popular “quem bate esquece que bateu, mas quem apanha jamais esquece”, em política isso é uma verdade sine qua non, ou seja, espere sempre o revide.

Em tudo na vida é necessário um objetivo definido. Não é diferente na representação da categoria.

Para alcançarmos nossos objetivos ou, termos os melhores resultados, é necessário inteligência emocional, planejamento, estratégia, tática e perseverança.

O caminho não é fácil. Há sempre aqueles que querem tomar atalhos, pular etapas para encurtar o tempo, na esperança de que tudo possa acontecer mais rápido.

Não ser reconhecido naquilo que se faz, traz um sentimento horrível de frustração e indignação enorme. E isso é perfeitamente normal.

Nos dias atuais é fácil dividir, proferir o discurso mais palatável, insuflar os ânimos, falar bravatas, ser desrespeitoso com os iguais.

Agir com a cabeça quente é bom? Quantas vezes nos arrependemos de agir dessa forma em nossas vidas? E quantas vezes o bom senso nos faltou?

É justamente nestas horas que buscamos os conselhos de amigos, pessoas importantes a nós e, nas maiorias das vezes, com quem são mais experientes.

Desconfie de quem só diz o que você quer ouvir, de quem lhe oferece a vitória fácil.

Muitas vezes na justiça, quando não se sabe elaborar o pedido, ganhar uma ação se torna um pesadelo.

Querem um exemplo disso? Os processos movidos por mais de 200 pessoas contra a CET, pedindo o divisor das horas extras por 180 horas e as promoções.

O pedido estava fora da nossa visão, não foi cauteloso e os resultados, danosos.

Apesar dos nossos avisos, o estrago foi feito. Com a competência e acúmulo de experiência de nossa direção junto com o departamento jurídico, conseguimos reparar os possíveis danos ao conjunto da categoria.

É preciso que fique claro, o SINDVIÁRIOS não foi consultado sobre a convocação de escala de trabalho do chamado “feriadão”.

Não concordamos e consideramos um desrespeito aos trabalhadores.

Não temos acordo para estabelecimento de Banco de Horas.

Consideramos quebra unilateral do ACT – Acordo Coletivo de Trabalho, portanto, vamos entrar com ação na Justiça do Trabalho por conta do descumprimento, que, caberá indenização aos trabalhadores afetados.

Será configurado o passivo trabalhista, que terá que ser reparado em pecúnia a todos que forem afetados.

Somos transparentes em nossas ações e, mesmo agindo com toda cautela, buscando não cometer desvios da linha legal, nunca é 100% a garantia de vitória.

Imaginem os riscos de agir de forma diferente. Por conta da nossa forma transparente de agir, disponibilizo, para quem quiser ler, a orientação do departamento jurídico do SINDVIÁRIOS, que  que respalda minhas decisões e ampara as informações que passo ao conjunto de trabalhadores e trabalhadoras, como também em nada fazemos de forma apócrifa.

Reno Ale
Presidente do SINDVIÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Digite seu nome