JUNTOS: Categoria conquista um dos melhores índices no Brasil

Vitória dos trabalhadores, além da manutenção de todas as cláusulas e do reajuste salarial, acima da inflação, campanha salarial garantiu, também, a realização de um concuso público ainda em 2018

44

Em um ano difícil, tanto por conta das condições políticas, como  financeira que o país atravessa, as trabalhadoras e trabalhadores da CET SP aprovaram na noite de ontem o fim da campanha salarial 2018.

O índice conquistado de 3,04% está no topo dos índices conquistados por categorias com data base em maio.

Tivemos um aumento real na ordem de 1,35%, esse índice representa 80% de ganho real quando comparado com o INPC, índice oficial de inflação utilizado como base para os tribunais do trabalho, que fechou no mês de maio em 1,69%.

Conseguimos a MANUTENÇÃO DE TODAS AS CLÁUSULAS SOCIAIS, com uma única redução de 3 para 2 folgas anuais, espantando assim o fantasma da nefasta reforma trabalhista que esta em vigor e poderia ter retirado, por exemplo, o direito de mulheres serem deslocadas de locais insalubres quando grávidas. 

O adicional de férias de 50% também foi mantido, assim como a indenização peculiar, o adicional noturno de mais de 40%, o adicional de campo, vale refeição integral nas férias, o 13º vale alimentação integral em dezembro, o auxílio educação e ensino especial, o auxílio fretado, a vigência do ACT por 2 anos etc.

Não podemos nos esquecer do nosso PPR, um dos mais altos do Brasil no valor de R$ 5.034,87.

Tivemos também avanços importantes como a discussão que está ocorrendo do PCCS, o vale cultura, que será finalmente implantado.

As mudanças que ocorrerão na data base de 2019 nas datas de pagamento, sendo, salários (penúltimo dia útil) e VR e VA (antepenúltimo dia útil), a licença paternidade de 20 dias, o mandato extendido dos Cipeiros eleitos para dois anos, sendo que no segundo ano, a presidência será dos trabalhadores, a ampliação da comissão de segurança com trabalhadores operacionais de campo e a criação de uma comissão permanente que se reunirá para discutir temas internos de interesse da categoria, como por exemplo BTE, calendário de pontes e feriado, horário móvel.

Por fim e não menos importante, teremos o concurso público com edital saindo ainda em 2018 e criaremos duas comissões para discutir, em 90 dias, a jornada de trabalho operacional e o PAMO, com participação ampla dos trabalhadores envolvidos, que serão escolhidos através de plebiscito nas áreas, sendo 11 trabalhadores (1 de cada GET, 1 do GOB, 1 da GES e 1 da GCO e seus respectivos suplentes da área operacional, para discussão da jornada e 1 trabalhador de cada gerência para discutir o PAMO.

Em relação a composição do CRE, as discussões continuam, pois dependem de conversa com a direção da empresa, formulação de um novo estatuto e aprovação em assembleia chamada pelo Conselho para este fim.

Ressaltamos a importância da união dos órgãos de representação, DR, CRE e CIPA, junto com o SINDVIÁRIOS, que participaram ativamente desta negociação e principalmente, a mobilização das trabalhadoras e trabalhadores que lotaram nossas assembleias e mostraram sua força e determinação.

Somente a luta organizada muda a vida!